TRATAMENTO DO DIABÉTES?



Tratamento

O tratamento do paciente com DM envolve sempre pelos menos
4 aspectos importantes:

Plano alimentar: É o ponto fundamental do tratamento de
qualquer tipo de paciente diabético.O objetivo geral é
o de auxiliar o indivíduo a fazer mudanças em seus
hábitos alimentares,permitindo um controle metabólico
adequado. Além disso, o tratamento nutricional deve
contribuir para a normalização da glicemia, diminuir os
fatores de risco cardiovascular,fornecer as calorias
suficientes para manutenção de um peso saudável,
prevenir as complicações agudas e crônicas e promover
a saúde geral do paciente.
Para atender esses objetivos a dieta deveria ser
equilibrada como qualquer dieta de uma pessoa
saudável normal, sendo individualizada de acordo com
as particularidades de cada paciente incluindo idade,
sexo, situação funcional, atividade física, doenças
associadas e situação sócioeconômico-cultural.

Composição do plano alimentar

A composição da dieta deve incluir 50 a 60% de carboidratos,
30% de gorduras e 10 a 15% de proteínas.
Os carboidratos devem ser preferencialmente complexos e
ingeridos em 5 a 6 porções por dia. As gorduras
devem incluir no máximo 10% de gorduras saturadas,o que
significa que devem ser evitadas carnes gordas,
embutidos, frituras, laticínios integrais, molhos e
cremes ricos em gorduras e alimentos refogados ou
temperados com excesso de óleo. As proteínas devem
corresponder a 0,8 a 1,0 g/kg de peso ideal por dia,
o que corresponde em geral a 2 porções de carne ao dia.
Além disso, a alimentação deve ser rica em fibras,
vitaminas e sais minerais, o que é obtido pelo consumo de
2 a 4 porções de frutas, 3 a 5 porções de hortaliças,
e dando preferência a alimentos integrais. O uso habitual
de bebidas alcoólicas não é recomendável,
principalmente em pacientes obesos, com aumento de
triglicerídeos e com mau controle metabólico.
Em geral podem ser consumidos uma a duas vezes por
semana, dois copos de vinho, uma lata de cerveja ou
40 ml de uísque, acompanhados de algum alimento, uma
vez que o álcool pode induzir a queda de açúcar
(hipoglicemia).

Atividade física: Todos os pacientes devem ser incentivados
à pratica regular de atividade física,que pode ser uma
caminhada de 30 a 40 minutos ou exercícios equivalentes.
A orientação para o início de atividade física deve incluir
uma avaliação médica adequada no sentido de avaliar a presença de
neuropatias ou de alterações cardio-circulatórias que possam
contra-indicar a atividade física ou provocar riscos
adicionais ao paciente.

Medicamentos, Hipoglicemiantes orais: São medicamentos úteis
para o controle de pacientes com DM tipo II, estando
contraindicados nos pacientes com DM tipo I. Em pacientes
obesos e hiperglicêmicos, em geral a medicação inicial
pode ser a metformina, as sultoniluréias ou as tiazolidinedionas.
A insulina é a medicação primordial para pacientes com DM tipo I,
sendo também muito importante para os pacientes com DM tipo II
que não responderam ao tratamento com hipoglicemiantes orais.

Rastreamento: O rastreamento, a detecção e o tratamento das
complicações crônicas do DM deve ser sempre realizado
conforme diversas recomendações. Essa abordagem está
indicada após 5 anos do diagnóstico de DM tipo I, no momento
do diagnóstico do DM tipo II, e a seguir anualmente. Esta
investigação inclui o exame de fundo de olho com pupila
dilatada, a microalbuminúria de 24 horas ou em amostra, a
creatinina sérica e o teste de esforço. Uma adequada
analise do perfil lipídico, a pesquisa da sensibilidade
profunda dos pés deve ser realizada com mofilamento ou
diapasão, e um exame completo dos pulsos periféricos dever
ser realizada em cada consulta do paciente.
Uma vez detectadas as complicações existem tratamentos
específicos, os quais serão melhor detalhados em outros
artigos desse site.

Como se previne ?

No DM tipo II, na medida em que uma série de fatores de
risco são bem conhecidos, pacientes que sejam portadores
dessas alterações podem ser rastreados periodicamente e
orientados a adotarem comportamentos e medidas que os
retire do grupo de risco.

Assim é que pacientes com história familiar de DM, devem ser
orientados a:

manter peso normal
praticar atividade física regular
não fumar
controlar a pressão arterial
evitar medicamentos que potencialmente possam agredir obesos
pâncreas (cortisona, diuréticos tiazídicos)

Essas medidas, sendo adotadas precocemente, podem
resultar no não aparecimento do DM em pessoa geneticamente
predisposta, ou levar a um retardo importante no seu
aparecimento e na severidade de suas complicações.